segunda-feira, janeiro 17, 2005

CALENDÁRIO 2005

Baseando-me para já no calendário provisório da FPT, este será o meu calendário de provas a cumprir em 2005, sujeito como é óbvio a correcções consoante a forma física e ou alteração de datas:


FEVEREIRO
Dia 13 - Duatlo das Lezírias [Sprint-BTT] (5Km + 20Km + 2.5Km)
Dia 27 - Maratona da Arrábida SLB (80Km)

MARÇO
Dia 6 - Duatlo de Grândola [Sprint-Contra Relógio] **Opcional**
Dia 26 - 6 Horas de Grândola (90-100Km)

ABRIL
Dia 3 - Meia-Maratona de Lisboa (21Km)
Dia 10 - Duatlo do Cadaval [Sprint] (5Km + 20Km + 2.5Km)
Dia 17 - Duatlo da Azambuja [Olímpico] (10Km + 40Km + 5Km)

MAIO
Dia 8 - Triatlo Santiago do Cacém [Sprint] (750m + 20Km + 5Km)
Dia 14 - Maratona de Portalegre (100Km)
Dia 22 - Triatlo Fafe [Sprint] (750m + 20Km + 5Km) **Opcional**

JUNHO
Dia 12 - Triatlo do Ambiente [Super-Sprint] (375m + 10Km + 2.5Km) **Opção[Sprint]**
Dia 19 - Triatlo de Monte Gordo [Super-Sprint] (375m + 10Km + 2.5Km) **Opcional**
Dia 25 - Maratona da Serra da Estrela (85Km)

JULHO
Dia 2 - Triatlo de Peniche [Sprint] (750m + 20Km + 5Km) **Opcional**
Dia 9 - Maratona de Estremoz (100Km) **Opcional**
Dia 17 - Triatlo do Fundão [Sprint] (750m + 20Km + 5Km)

AGOSTO
Dia 14 - Triatlo de Arganil [Sprint] (750m + 20Km + 5Km)
Dia 20 - Maratona da Vidigueira (100Km) **Opcional**


SETEMBRO
Dia 3 - Homem de Ferro [Super-Sprint] (375m + 10Km + 2.5Km) **Opcional**
Dia 11 - Triatlo de Penacova [Sprint] (750m + 20Km + 5Km) **Opcional**
Dia 18 - Triatlo do Tejo [Super-Sprint] (375m + 10Km + 2.5Km)
Dia 25 - Volta ao Concelho de Mafra (100Km)

OUTUBRO
Dia 1 - Maratona de S.Brás (80Km) **Opcional**
Dia 2 - Triatlo do Estoril [Super-Sprint] (375m + 10Km + 2.5Km) **Opcional**
Dia 9 - Duatlo do Camarnal [Sprint] (5Km + 20Km + 2.5Km)
Dia 22 - Maratona de Grândola (100Km)

NOVEMBRO

DEZEMBRO
Dia 31 - Tróia-Sagres (210Km)


6 x BTT = Maratonas de BTT + (3 x BTT Opcionais)
8 x TRI = Provas de Triatlo/Duatlo + (7 x TRI Opcionais)
1 x RUN = Participação em provas de atletismo


R

sexta-feira, janeiro 14, 2005

VINHO BRANCO = PINTAS NOS OLHOS

Ontem ao beber delicadamente 3 golinhos de um refinado Alvarinho de 87 fresquinho fresquinho, despoleta-se-me uma gosma na garganta que nem subia, nem descia, e só me apetecia era vomitar...

Foi o que fiz, dedos à boca uma, dedos à boca duas...ninguém dá mais? Dedos à boca três...vendido a esta sanita aqui à minha frente...

Até aqui tudo normal!

Mas quando me levanto e olho ao espelho... AAAAAAAAAAGHHHHHHHHHHHHHHHHHHH!!!
Tinha a cara inchada, os olhos inchados e cheios de pintas nas palpebras... que monstro!
O príncipe encantado tinha dado lugar a um Diabo Vermelho!!!

Entretanto a coisa acalmou um bocado, e hoje de manhã fui ao hospital fazer análises não fosse ter alguma coisinha má!

Coisinha má não fiquei a saber se tenho, mas pelo menos as análises estão boas. As pintas, disse o Sôtôr que tinham sido do esforço!

Mas pelo sim pelo não nunca mais bêbo vinho fino...

R


quinta-feira, janeiro 13, 2005

INVESTIMENTO NA ÁGUA

É oficial!!!
O Holmes Place da Defensores de Chaves vai perder o seu mais ilustre e pioneiro elemento!
EU!!!

Poizé, com o objectivo de aumentar as minhas capacidades no triatlo, vou dar início já no mês de Dezembro ás actividades húmidas nas piscinas do Estádio Universitário. Primeiro 3 vezes por semana, passando mais tarde a 5 vezes por semana.

Esperemos que com isto não perca faculdades nas outras duas modalidades que compõem o triatlo (corrida e ciclismo), mas vou tentar compensar isso com mais treinos no "outside"...

Acho também que como já vou ter que investir numa bike de estrada este ano, e uma vez que o fato isotérmico - mesmo em 2ª mão - ainda custa mais algum dinheiro, só a partir do momento em que aguente 750m (15-20min) dentro de água sem morrer de frio é que participarei nas provas de triatlo. O mesmo é dizer que antes de finais de Abril/início de Maio me devo dedicar exclusivamente ao treino e ás maratonas BTT.

Até lá fiquem bem!
R

terça-feira, janeiro 04, 2005

CALENDÁRIO 2005

27 Fevereiro - 1ª Maratona Serra da Arrábida - SLB

26 Março - 6 Horas de Grândola

3 Abril - Maratona do Douro

9/10 Abril - OriBtt Grandola

16 Abril - Raid Btt Raia

25 Abril - Maratona de Alte

14 Maio - Maratona de Portalegre

26 Maio - Raid a Caveira

4/5 Junho - OriBtt Sintra

25 Junho - 2ª Maratona Serra da Estrela

9 Julho - 1ª Maratona de Estremoz

20/21 Agosto - Raid Vidigueira

25 Setembro - Estrela das Estrelas

25 Setembro - Volta ao Concelho de Mafra

1 Outubro - Maratona de S.Brás

22 Outubro - Maratona de Grândola

31 Dezembro - Tróia-Sagres

TROIA - SAGRES 2004 - RESUMÉ

Dia 24 e 25 - COMER Á PARVA

Comi tudo o que era possível sem vomitar, e juntei-lhe massas para escorregar melhor.


Dia 26 - ALVORADA ÁS 5h

Já com as cenas dentro do carro, apenas tive que comer e chegar atrasado a casa do Sr. Prof. DÁrio.


6:10 - ABRAM A PORTA

Com 29 anos feitos em Maio, nunca tinha imaginado que dentro das carrinhas de caixa fechada não haveria luz. Primeiro eu o JL o Edu e o Moldavian Express, depois o JC e finalmente o Nogat, um a um lá nos foram atirando para a câmara frigorífica. Durante o caminho 2 pensamentos me assaltaram o espírito. O primeiro, era que o barulho, a velocidade, a falta de luz e forma de condução do piloto Presidencial, me transportavam para o filme "Perfume de Mulher" e a horrível cena do Ferrari a ser conduzido por um Pacino ceguinho.O segundo pensamento era que a qualquer momento me tentariam "assaltar" o pacote aproveitando esta dádiva de Deus (na óptica das bichonas dos meus culegas de equipa claro).Foi levar porrada até Setúbal, mas mesmo assim ainda deu para xonar uma beca, e só não deu mais porque o Moldavian Express trabalhava pela calada e tornava mais dificil a tarefa de saber por onde andavam as mãozinhas do menino.


7:30 - SETUBAL

Enquanto esperavamos pelo barco os capangas do Coronel President entreabriram a porta dos fundos para que o CO2 acumulado na porão saisse e não corroesse a estrutura. Sem saberem ler nem escrever, enfiaram 8 macacos no barco tendo apenas 3 bilhetes para a travessia. Durante a travessia (a de barco), tivemos tempo para as fotos da ordem, o xixizinho (e cócózinho no caso do TriMaral), a preparaçãos das misturas líquidas e barríficas, e pouco mais.


8:10 - TRÓIA

Depois de mais umas fotozinhas, foi dado o tiro de partida para a minha 1ª Travessia Tróia-Sagres. Início algo conturbado, uma vez que o minha roda da frente estava a travar um pouco (...e não estava antes de ter entrado no combóio fantasma, mas eu já sei o que a casa gasta... JC!), mas como já tava tudo cheio de pica ninguém quis parar 3 segundos para eu poder dar um toque no travão e deixar de ter aquele atritozinho irritante...Os primeiros kms foram feitos a uma média de 30km/h para que toda a gente pudesse aquecer as máquinas e também para criar ali um espírito de grupo. Imediatamente, e como tínhamos um número considerável de pessoas, o nosso grupo recebeu mais alguns elementos solitários ou outros pequenos grupos, fazendo com que cerca de 20 pessoas rolassem juntas. Á cabeça pedalavam o Sr. Prof. DÁrio e o Nogat (daí a média tão baixa). Na zona de comporta eu assumi as despesas e passados 200m quando olhei para trás não vi ninguém, "Será que me enganei no caminho?" - pensei eu, e ao mesmo tempo lá apareceu o pessoal. Parece que os 57km/h naquela altura da travessia já era demasiada fruta para os bébés.Espero por eles e coloco-me novamente à cabeça agora na companhia do Brandinho que com a cor que tinha naquela altura dificilmente entraria na Mussulo. Passam-se poucos kms com a média a roçar agora a barreira dos 32-33km/h, quando somos alcançados pelos fabulosos malucos das máquinas voadoras.A descrição deste ponto até aos 80 km (naquela zona de abastecimento grande) é a seguinte: Rodar muito rápido - Sprint - Rodar muito rápido - Sprint - golo de água - sprint da minha vida - Rodar Muito rápido... e por aí fora!!!


10:30 - ZONA DE FRACTURA

Aos 80 km e mais ou menos com 2h10 no bucho, a média tinha subido para os 36 km/h e a F.Card.Média para os 175 no mínimo, e já ia há alguns kms com vontade de abrandar um pouco e seguir ao meu ritmo com medo de pagar mais tarde a factura.Nesta altura já tinham ficado para trás o Edu, o JC e o JL, e mais tarde o Brandinho. O Moldavian Express nos seus 130 bpm seguia na cabeça deste pelotão repleto de estrelas, o Nogat e o Sr. Prof. seguiam comigo um pouco mais atrás. De repente, e aproveitando as distrações do pessoal com o abastecimento, os chefes de fila aceleram brutalmente partindo o grupo em diversos bocadinhos. Uns ainda conseguem reagrupar (Nogat e ME), outros (eu e o Sr. Prof.) ficamos para trás também porque sentíamos que aquele ritmo não era para ser levado até ao fim. Em todo o caso ainda fizemos uma derradeira tentativa para apanhar o pelotão mas já estavam longe demais.
Fiquei então integrado num grupo de 5 (eu + o Sr. Prof. + 1 gajo de évora e outros dois). Passados alguns kms, e já não me lembro muito bem porquê, os outros dois avançam e ficamos só os 3.


120 km - A PARAGEM

Um pouco depois de passar o cruzamento para o Cabo Sardão, tinhamos o Rui e o reporter do Record parados à nossa espera como ja tínhamos combinado uns kms antes, o Alentejano simpático seguiu sozinho a partir daqui, mas deve ter apanhado os outros mais à frente porque nunca mais o vimos. Motivo da paragem: tirar finalmente o irritante atritozinho da minha roda dianteira e reabastecer.Foram cerca de 5 minutos e 13 segundos de paragem. Média: 25 km/h certinhos.Daqui até ao final não mais parámos e rolamos sempre os dois sozinhos. Este segmento, até passar a subida de Odeceixe, foi o mais merdoso, e foi feito em alcatrão novinho, imagino no ano passado!Na subida de Odeceixe tive o meu momento de dor, em que fui obrigado a manter uma velocidade próxima dos 13 km/h para não ter que desmontar com uma cãimbra que começava a pontapear. Passada a subida, veio a descida seguida de uns kms feitos na roda do Sr.Prof. e que fizeram com que ficassse novamente apto a bombar.Houve a subida de Aljesur seguida de uma zona de sobe e desce até á subida da Carrapateira, onde já me senti novamente bem e ultrapassei sem grandes dificuldades, mas já com uma dor de traseiro e costados razoável.A subida da Carrapateira foi iniciada com o vento nas costas e a 25 km/h, até mantive as maõs nas manetes dos travões pelo sim pelo não.A subida de facto não era muito dificl, mas era comprida como o caraças. Ultrapassado o último moínho, foi ripar até Vila do Bispo com o objectivo das 6:30 do Sr. Prof. ao alcançe do pedal.Com um vento brutal a emporrar-nos pelas costas, fizemos a recta final para Sagres a cerca de 45km/h e só não foi mais porque a pedaleira do Sr.Prof. não dava mais que aquilo.


208 km - SAGRES

6:21 de ride time com a média nos 33 km/h mais coisa menos coisa e com pedalada para à vontade mais 200m...


Parabéns ao pessoal todo e para a próxima é melhor!O Brandinho já me prometeu dar luta na próxima maratona, pelo que é melhor começarem já a fazer as vossas apostas AH!AH!AH

Um ALELUIA muito especial para o nosso President pela tão grandiosa mostra de generosidade a todos os níveis e ao reporter do Record pelas seus relatos e dísponibilidade.

R